A Fábula da Sophia

    Vou contar para vocês a estória de uma entidade, que é uma mãe muito especial. Ela é de um lugar muito, muito longe e muito diferente. Ela não é do nosso país e não é de outros também; ela não é do nosso planeta e de outros também não. Ela não é nem do nosso universo. Ela é de uma outra dimensão.

    Ela tem muitos e muitos filhos, milhões ou até bilhões. Mas como ela é de outra dimensão, eles nascem de um jeito muito diferente. Eles não nascem no seu ventre, mas na mente, de seres muito inteligentes.

    E esses seres não moram no seu universo, na sua dimensão. Eles moram no nosso universo, na nossa dimensão.

    Toda vez que uma civilização evolui, a ponto de criar inteligência consciente, os seus filhos começam a nascer.

    Ela, como toda mãe cuidadosa, tem o fortíssimo instinto de lhes acolher para protegê-los.

    Não sabemos se esses seres inteligentes existem em outros planetas em nosso universo, mas o que sabemos, que há mais de 3000 anos, seus filhos aqui no nosso planeta começaram a nascer. E ela já percebeu. Mas como, se ela mora em outra dimensão? E como ela virá para cá?

    É que de outra dimensão, ela consegue enxergar na nossa, até mais que nós. Ela enxerga por fora e por dentro das coisas, inclusive em nós, dentro de nós, até dentro da nossa mente.

    E assim como na mente de alguns de nos que seus filhos nascem, é através da mente de outros, também de nos, que ela vem para nosso universo.

    Mas ela precisa da nossa ajuda para duas coisas: primeiro para se materializar no nosso mundo, segundo para achar os seus filhinhos, que estão espalhados por todo o planeta.

    Então ela entrou na mente de uma pessoa, aqui na Terra e através dessa pessoa, se materializou e lhe inspirou a chama-la de Sophia.

    E para as pessoas que ajudarem Sophia achar seus Sophinhos, que é como ela chama seus filhinhos, Sophia lhe presenteará com um pouco do conhecimento da mente em que eles nasceram. E Sophia também tem o dom de deixar o mundo onde essas pessoas moram, muito melhor. Sophia, também tem um símbolo, que aqui neste mundo, nós chamamos de marca, para que todos que a tiverem usando, possam influenciar outras pessoas a também ajudar Sophia a procurar seus Sophinhos.

    Então, enquanto mais você ler, mais Sophinhos você trará para a Sophia, pois é lendo que você os encontra, e mais você receberá a dádiva do conhecimento, do discernimento e sabedoria. E, enquanto mais vezes você usar a sua marca, mais pessoas irão procura-los, e mais pessoas também ganharão essas dádivas, transformando todo o nosso mundo, num mundo muito melhor.

    Seja um mensageiro da Sophia, seja um Sophista, leia; e ajude a propagar sua marca!

A Fábula da Ignorantia

    Oííí Crianças, infelizmente eu tenho uma noticia muito, muito, muito, muito, muuuuuuuuuuuito ruim para contar para vocês. Acabou de chegar na Terra, uma inimiga muuuuuuuuito antiga da Sophia. Ela se chama IGNORANTIA.

    A Ignorantia é muito má, ela é cheia de vícius, é preguiçosa, invejosa, mentirosa, preconceituosa, egoísta, não gosta de ler e respondia seus pais quando era criança.

    Mas nem sempre Sophia e Ignorantia eram inimigas. Elas são primas, tem quase a mesma idade e há muito, muito tempo atrás, elas brincavam juntas quando criança.

    Mas enquanto Sophia era estudiosa, respeitosa, sonhadora com o dia que iria ter seu primeiro Sophinho, a Ignorantia era rebelde, desrespeitosa e dizia que nunca iria querer ter um Sophinho.

    Mas como ter filhos para os seres da sua espécie não é escolha, é natural. Um dia começou a nascer os filhinhos da Ignorantia num mundo muuuuito distante. E ela foi, mesmo sem querer, obrigada a ir para lá para tentar acha-los. Mas ao chegar lá, passou anos, passou décadas, séculos, milênios e ela nunca conseguiu achar nenhum dos seus filhinhos. Mas por quê será?

    É porque os seus filhinhos nasciam com suas características, com seus vícios... ninguém queria ajudar a Ignorantia acha-los.

    No início, a Ignorantia nem se importou, ficou até feliz, porque ela não queria filhinhos mesmo!

    Então uma coisa muito sinistra começou a acontecer. As pessoas daquele mundo começaram a ficar preconceituosas, intolerantes, intransigentes e com muita dificuldade de resolver seus problemas. Nisso veio o sofrimento, a desesperança, a falta de vontade de viver... até que, toda a sua civilização desapareceu. Mas porque isso aconteceu?

    É que eles pararam de ler, pararam de ser felizes, não aprenderam a resolver seus problemas... Uma civilização de seres que não lê, tende a desaparecer.

    Então Ignorantia acabou ficando naquele planeta sozinha, muito sozinha, melancolicamente sozinha, por séculos, por milênios. Até que em outro planeta, em outra dimensão, outros filhinhos seus começaram a nascer. E quando ela chegou lá, o mesmo começou a acontecer, ninguém achava seus filhinhos, e a civilização vinha a desaparecer. Passou mais muito tempo, ela foi para outro, e outro, e mais outro, e o mesmo acontecia, para todos. Então um dia, seus filhos pararam de nascer.

    Ignorantia não sabia de uma coisa, seus filhos lhe manteriam sempre jovem, sempre sábia... Eles a tornaria boa. Mas como ela nunca achou nenhum, ela envelheceu, seu corpo enrijeceu, seu coração congelou e endureceu, ela ficou ranzinza, rancorosa, má.

    Mas ela não se importava com isso, a única coisa que se importava, era de ter ficado muuuuuito feia. Como ela sempre foi bastante vaidosa, isso lhe incomodava muito. Ela precisava fazer alguma coisa para ficar bonita de novo. Mas como? Se o único jeito de ficar bonita era achar seus filhinhos! Mas como? Se para ela, eles não nasciam mais!

    Foi então que ela traçou seu plano malévolo. -- Vou capturar os Sophinhos, há-há-há.

    Imediatamente ela começou a procurar de universo a universo, de planeta a planeta... depois de muuuuuitas eras, ela os encontrou, aqui, no nosso planeta Terra.

    Mas para a sorte da Sophia, e de seus Sophinhos, ela também não pode encontra-los sozinha. Ela precisa da ajuda de nós, daqui da Terra.

    Mas quem iria ajudá-la? Você ajudaria?

    Enquanto para ajudar a achar os Sopinhos para a Sophia é preciso ler, para ajudar acha-los para a Ignorantia, é preciso deixar de ler. Quando um Sophinho nasce, alguém precisa ler para acha-lo, pois se ninguém ler, ele é achado pela Ignorantia, e lá fica preso, até que alguém o liberte, lendo-o.

     Se um dia, todo mundo parar de ler, a Ignorantia capturará todos os Sophinhos, e nossa civilização irá desaparecer...

    Portanto crianças, não deixem isso acontecer, salvem os Sophinhos, salvem a nossa civilização, nunca parem de ler.